fbpx
Worried businesswoman sitting alone in office. Pensive middle-aged woman resting her head on hands and looks aside in window. Concentrated female entrepreneur frowning thinking about problem solution

Estou trabalhando e a empresa não está depositando meu FGTS, o que fazer?

As empresas devem recolher mensalmente no Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) o valor correspondente a 8% sobre o salário bruto de seus funcionários. Esse percentual também é calculado sobre salário, 13º salário, horas extras, bonificações, comissões e tudo que é de natureza salarial. Esse dinheiro é um direito do trabalhador e não deve ser descontado.

Infelizmente, nem todos os empregadores cumpre a obrigação. Por isso, o funcionário deve checar se os depósitos estão sendo feitos na sua conta do FGTS. A informação pode ser buscada pessoalmente nas agências da Caixa ou pelo site do banco ou do próprio FGTS. Há ainda a alternativa do aplicativo do FGTS para celular e tablet.

E, caso saia do emprego, seja porque pediu as contas ou porque foi demitido por justa causa, deve confirmar assim que possível se a empresa fez todos os depósitos devidos. Se forem constatadas pendências no recolhimento do fundo, é necessário agir rapidamente para não perder os direitos.

O trabalhador tem algumas possibilidades para reivindicar o pagamento do benefício. Confira abaixo:

Contato com o RH

Primeiramente, indica-se entrar em contato com o empregador para solicitar a normalização da situação de forma amistosa. Isso é importante para ter certeza que a empresa não está agindo de má fé. Às vezes, os depósitos não são realizados por conta de erros de processos internos ou pela Caixa não ter registrado o recebimento do valor.

Denúncia

O trabalhador também pode procurar a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, no caso de capitais, as gerências e agências regionais ou o no Ministério Público do Trabalho (MPT).  Assim, é possível fazer uma denúncia anônima sobre o não recolhimento do FGTS de forma anônima. Se não comprovarem os depósitos, as empresas serão autuadas ou obrigadas a assinar um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) se comprometendo a recolher o FGTS devido e regularizar a situação.

Ação na Justiça

Se nenhuma das opções der resultado, é possível entrar com uma ação na Justiça do Trabalho dentro do prazo de até dois anos após a rescisão do contrato de trabalho.Em contratos antigos, onde o trabalhador não atua mais, essa é a única possibilidade para tentar receber os valores. 

Justa causa contra empregador

Não recolher o FGTS é motivo para rescisão indireta do contrato de trabalho por justa causa contra o empregador. Trata-e de uma forma de demissão às avessas, em que o funcionário recebe tudo que é devido incluindo a multa de 40% do FGTS e acesso ao valor integral do fundo. 

Nós, do escritório Vieira Côrtes Advogados, seguiremos compartilhando informações importantes referentes às legislações vigentes. Entre em contato para mais informações!

Compartilhar Notícia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on print
Share on email

Últimas Notícias

Categorias

Endereço

Rua do Carmo, nº17 - 1º Andar - Castelo - Centro do Rio de Janeiro, CEP: 20011-020

© 2020 Vieira Côrtes – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND.

Open chat